Índice de cobertura de juros

O índice de cobertura de juros é um índice utilizado para determinar a capacidade de uma determinada companhia honrar o pagamento dos juros associado à dívida. O endividamento de uma companhia é composto por dois componentes, principal e juros, com os juros transitando pela demonstração de resultado como parte das despesas financeiras. 

O índice de cobertura de juros é relevante tanto para quem fornece capital de terceiros, como bancos (via empréstimos, por exemplo), quanto para os acionistas. Afinal, o índice de cobertura de juros pode funcionar como um importante termômetro de risco relacionado ao endividamento, como o risco de insolvência (default), ou sobre a capacidade e potencial custo de tomar novas dívidas no futuro. 

O índice de cobertura de juros é calculado como a divisão entre o Lucro antes dos Impostos e Tributos (EBIT) e as Despesas com Juros. Em termos práticos, costumamos usar as Despesas Financeiras da Demonstração de Resultados como aproximação das despesas com juros. O índice de cobertura de juros pode ser apresentado como:

O resultado aponta a quantidade de tempo em que as despesas com juros podem ser pagas com o lucro de um determinado período. Quanto menor o índice, pior, ao sinalizar um maior comprometimento do lucro para os juros da dívida e que este lucro não poderia ser destinado para outros usos, como novos investimentos ou até mesmo dividendos. 

A dívida é parte do negócio e, se bem utilizada, pode ser fundamental para o crescimento de uma companhia. Se um investimento apresenta uma taxa de retorno superior ao custo da dívida utilizada para financiá-lo, pode ser um bom negócio. Porém, é necessária uma margem de segurança para que uma empresa garanta sua sobrevivência. Uma empresa com um índice de cobertura de juros muito baixo pode se encontrar em apuros ao verificar uma queda inesperada nas receitas – a maior parte do lucro estaria destinada à dívida. Mas, o que seria um índice de cobertura de juros baixo ou alto? Qual seria o ideal?

O que é um bom índice de cobertura de juros? E o que seria ruim?

Um índice de cobertura de juros igual a 1 significa que todo o lucro da companhia está comprometido com a dívida. Interpretando sob a ótica da quantidade de tempo apresentada anteriormente, significa que o lucro apresentado foi basicamente destinado aos juros – o lucro do ano seria suficiente para “cobrir” um ano de despesas de juros. Um índice de cobertura superior a 1 indicaria que o lucro “cobre” mais do que um ano de despesas de juros e um índice de cobertura de juros inferior a 1 indica que o lucro gerado “cobre” menos do que um ano de despesas de juros – sendo claramente insuficiente.

Uma rule of thumb bastante difundida é que:

  • Um índice de cobertura de juros abaixo de 1 é extremamente problemático, sinalizando incapacidade de honrar o pagamento dos juros. De forma geral, indica uma empresa não saudável financeiramente;
  • Um índice de cobertura de juros abaixo de 1,5 indica que uma companhia não está muito bem em termos de capacidade de honrar o pagamento de juros, o que demanda atenção;
  • Um índice entre 1,5 e 2,0 seria uma “zona neutra”, mas que ainda demandaria maior atenção;
  • Um índice entre 2 e 3 seria bom, para negócios com receitas mais previsíveis;
  • Acima de 3 é excelente.
  • Para setores cíclicos e mais voláteis, é interessante ser conservador e preferir índices mais elevados.

Limitações

Cada setor possui suas peculiaridades, como dinâmicas de investimento e de financiamento próprias. Alguns setores operam com uma maior alavancagem operacional e financeira, por exemplo – como companhias aéreas.  Índices, indicadores e múltiplos são mais informativos quando comparamos empresas contra seus pares do mesmo setor. O índice de cobertura de juros médio da indústria de companhias aéreas será diferente do índice de cobertura de juros médio da indústria de tecnologia, por exemplo. O recomendado é comparar o índice para empresas do mesmo setor, e que sejam razoavelmente comparáveis. 

Se você quer investir com segurança e foco em resultados tendo todo o suporte de uma equipe de analistas com experiência:

Conheça o Plano VG VIP

São 6 carteiras recomendadas separadas em 4 categorias de ações: dividendos, valorização, small caps, microcaps, fundos imobiliários e fundos imobiliários high yield. Essa é uma excelente alternativa para investidores que querem construir uma carteira bem completa, diversificada, com uma boa renda passiva e aproveitando as oportunidades de valorização da bolsa.

Clique aqui e assine já.

Lucas Schwarz

Artigos Relacionados

Porque assinar a nossa newsletter?

Notícias Notícias

Os nossos analistas realizam uma curadoria cuidadosa das principais notícias sobre a bolsa de valores e nós te enviamos, por e-mail, a visão da VG Research sobre como isso pode impactar os seus investimentos.

Artigos Artigos

Tenha acesso a artigos completos e detalhados, toda a semana, sobre os principais temas relacionados à investimentos, empresas e economia.

Vídeos Vídeos

Aulas online e gratuitas sobre a bolsa de valores para te ajudar a entender mais sobre o universo das ações e saber tomar melhores decisões com os seus investimentos, sempre com foco em crescimento de patrimônio e aumento da renda passiva.